Musicas

Brasil e Argentina tratarão sobre a criação da moeda única em cúpula de Buenos Aires esta semana

Written by BeiraVibes

Para construir a segunda maior união monetária do mundo, o plano estenderá convites a outros países latino-americanos

Fonte: Getty Imagens
Para construir a segunda maior união monetária do mundo, o plano estenderá convites a outros países latino-americanos

Nesta semana, Brasil e Argentina anunciarão que estão iniciando os trabalhos preliminares para uma moeda única, um movimento que pode eventualmente criar o segundo maior bloco monetário do mundo depois da zona do euro. Informações de Michael Stott e Lucinda Elliott, correspondentes da Financial Post.

A cúpula, que acontecerá esta semana em Buenos Aires, reunirá as duas maiores economias da América do Sul para discutir a ideia e convidar outros países latino-americanos a participar.

Artigos recomendados

A nova moeda do Mercosul poderá se chamar “SUR”

Os formuladores de políticos estão interessados principalmente em como uma nova moeda, que o Brasil propõe chamar de “sur” (sul), aumentaria o comércio regional e diminuiria a dependência do dólar americano. Inicialmente, estaria atrelado ao peso argentino e ao real brasileiro.

Segundo o ministro da Economia da Argentina, Sergio Massa, “haverá uma decisão de começar a analisar os critérios necessários para uma moeda única”, que abrange dificuldades fiscais, tamanho da economia e o papel dos bancos centrais.

Especificamente, “seria um estudo de mecanismos de integração comercial”, afirmou. Parafraseando: “Não quero criar falsas expectativas… é o primeiro passo de um longo caminho que a América Latina deve trilhar”.

O programa começaria como um projeto bilateral, mas depois seria disponibilizado para outros países da América Latina. O ministro argentino assim se expressou: “Argentina e Brasil estão convidando o resto da região”.

O projeto será baseado em países que já utilizam o sistema de moeda única

De acordo com os cálculos do FT, uma união monetária cobrindo toda a América Latina contribuiria com cerca de 5% para o PIB mundial. A Zona do Euro é a maior união monetária do mundo, representando cerca de 14% do PIB global em dólares correntes.

Alguns países africanos utilizam uma moeda chamada franco CFA, que está atrelada ao euro. O dólar do Caribe Oriental é outra união monetária. No entanto, estes representam apenas uma pequena fração da atividade econômica total.

Massa afirmou que a Europa levou 35 anos para construir o euro, então é seguro supor que este projeto levará um tempo semelhante.

Na noite de domingo, o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva fará sua primeira viagem internacional desde que assumiu o cargo em 1º de janeiro. Enquanto estiver na Argentina, ele deve dar a notícia oficialmente.

Vantagens e Desvantagens – Moeda Única do Mercosul

Autoridades dos dois países discutiram a possibilidade de estabelecer uma moeda única entre eles nos últimos anos, mas as negociações pararam devido à resistência do Banco Central do Brasil. Há mais apoio político agora que os dois países são liderados por presidentes de esquerda.

Um representante do Ministério da Fazenda do Brasil disse desconhecer qualquer tipo de grupo de trabalho explorando a possibilidade de uma moeda única no país. Antes de assumir o cargo atual, ele destacou que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, havia proposto uma moeda única digital para a América do Sul em um artigo que escreveu em coautoria com outra pessoa no ano passado.

Os negócios entre Brasil e Argentina estão crescendo, com o comércio total atingindo US$ 26,4 bilhões nos primeiros 11 meses do ano, um aumento de cerca de 21% em relação ao mesmo período de 2021. Paraguai e Uruguai também são membros do bloco comercial regional do Mercosul, embora seja liderado por esses dois países.

A inflação da Argentina está próximo dos 100%

A Argentina, onde o banco central produz dinheiro para sustentar os gastos e a inflação anual se aproxima de 100%, é a que mais se beneficiará de uma nova moeda única. Dados do banco central mostram que a quantidade de moeda em circulação quadruplicou durante os primeiros três anos do presidente Alberto Fernández no poder, e a nota de peso de maior denominação agora vale menos de US$ 3 na taxa de câmbio paralela frequentemente usada.

No entanto, o conceito de amarrar a maior economia da América Latina à de seu vizinho constantemente turbulento levantaria as sobrancelhas no Brasil. A Argentina ainda deve ao Fundo Monetário Internacional cerca de US$ 40 bilhões de um resgate em 2018, e o país está praticamente isolado dos mercados internacionais de dívida desde seu calote em 2020.

Pela primeira vez desde que uma onda de eleições no ano passado reverteu uma tendência de direita na região, Lula permanecerá na Argentina para uma cúpula na terça-feira dos 33 países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC).

As autoridades previram que o presidente socialista revolucionário da Venezuela, Nicolás Maduro, e o líder cubano, Miguel Daz-Canel, estariam presentes, junto com o presidente da Colômbia, Gustavo Petro, e o chileno Gabriel Boric. Andrés Manuel López Obrador, presidente do México, não deve comparecer porque costuma evitar viagens ao exterior. Provavelmente haverá manifestações em Buenos Aires no domingo para protestar contra a presença de Maduro.

Santiago Cafiero, ministro das Relações Exteriores da Argentina, afirmou que serão feitas promessas na cúpula sobre o aumento da integração regional, a defesa da democracia e a luta contra a mudança climática.

Durante um período em que o mundo estava faminto por alimentos, petróleo e minerais da América Latina, ele disse ao Financial Times que a área precisava determinar que tipo de desenvolvimento econômico desejava.

Ao ser questionado sobre como a região planejava prestar o serviço, ele questionou: “A região vai suprir isso de forma a converter sua economia [apenas] em produtora de matéria-prima, ou vai abastecer de forma que promova a justiça social [ao agregar valor]?”

Este projeto de moeda única tem por principal objetivo diminuir a dependência do dólar

De acordo com o economista espanhol Alfredo Serrano, que dirige o think-tank político regional Celag em Buenos Aires, a conferência se concentrará no fortalecimento das cadeias de valor regionais para capitalizar as perspectivas regionais.

Ele enfatizou a importância dos procedimentos monetários e cambiais. “Hoje, a América Latina, com suas economias robustas, tem oportunidades de encontrar instrumentos que substituam a dependência do dólar. Isso vai ser um grande avanço.

Segundo Manuel Canelas, cientista político e ex-ministro do governo boliviano, a CELAC é o único órgão de integração pan-regional que sobreviveu na última década. A CELAC foi fundada em 2010 para ajudar os governos da América Latina e do Caribe a coordenar políticas sem os EUA ou o Canadá.

No entanto, os presidentes de esquerda na América Latina devem lidar com a piora das condições econômicas internacionais, políticas domésticas complicadas devido à prevalência de governos de coalizão e diminuição do apoio público à integração regional.

Isso significa que “todas as etapas para a integração certamente serão mais criteriosas… e terão que ser focadas justamente em gerar resultados e provar por que eles são valiosos”, como disse.

Agradecemos a todos que vistam nosso site e compartilham os links além disso , pedimos que curta a nossa página.

Acompanhe as novidades de música no site diariamente, faremos o máximo para trazer as músicas do momento só pra você.
Download
mp3
for free
house
amapiano
download mp3
Fofoca
novidades
entretenimento

Relacionado

Source by [author_name]

About the author

BeiraVibes

Leave a Comment