segunda-feira, outubro 3, 2022
EntretenimentoNoticias

JAY-Z pressiona governo dos EUA para investigar prisão com condições desumanas



Depois de garantir representação legal para os presos na Penitenciária Estadual do Mississippi em Parchman, Jay-Z, Yo Gotti e a ROC Nation estão pressionando

Os esforços legais liderados por Jay-Z, Yo Gotti e a equipe da ROC Nation estão fazendo valer a pena na Penitenciária Estadual do Mississippi em Parchman.

De acordo com a Billboard, os artistas e a equipe garantiram representação legal para mais de 200 presos e entraram com ações judiciais suficientes para que o Departamento de Justiça dos EUA investigasse as condições desumanas na prisão.

Nesta semana, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos divulgou um relatório anunciando que a prisão estava violando rotineiramente os direitos constitucionais dos presos.

O DOJ observou: “Com base em uma investigação completa, há motivos razoáveis para acreditar que as condições e práticas na Penitenciária Estadual do Mississippi (também conhecida como Parchman) violam a Oitava e a Décima Quarta Emendas à Constituição dos EUA”.

Yo Gotti divulgou um comunicado após o anúncio.

“Meu coração está com os homens encarcerados que sofreram sem acesso a água potável, comida e saúde e as famílias que perderam entes queridos tragicamente no processo.

Continuarei defendendo os sem voz até que recebam a justiça que merecem. Sou grato pelo relatório completo do Departamento de Justiça dos EUA para responsabilizar o Departamento de Correções do Mississippi pelo tratamento cruel e desumano da população presa”.

A CEO da Roc Nation, Desiree Perez, também divulgou um comunicado sobre a prisão e o DOJ.

“Em nome da equipe ROC, estamos satisfeitos em ver o Departamento de Justiça reconhecer as terríveis condições nas prisões do Mississippi… Nos últimos três anos, o número de mortos foi totalmente devastador e esperamos que o relatório de hoje traga muitas famílias e seus um passo mais perto de obter a justiça que merecem. Aplaudimos o Departamento de Justiça por seu relatório”.

Leave a Response